Janeiro Roxo: Prefeitura de Iguaba promove evento para mobilização ao combate a Hanseníase

Dia “D” acontece nesta sexta (21), a partir das 9h, na Quadra Poliesportiva Oswaldo Antunes Neves com a participação de diversos profissionais da saúde

Com o objetivo de ampliar a detecção e o combate de novos casos de hanseníase na cidade, a prefeitura de Iguaba Grande, através do Programa Municipal de Controle de Tuberculose e Hanseníase, realiza na próxima sexta-feira (21), de 9h às 15h, na Quadra Poliesportiva Oswaldo Antunes Neves, o dia “D” com a participação de diversos especialistas.

A programação faz parte do ‘Janeiro Roxo’, campanha nacional de prevenção e controle da hanseníase, realizada no município de 17 a 22 de janeiro.

Ao longo do evento profissionais da saúde estarão disponíveis para verificação de pressão arterial, glicemia, testagem rápida de HIV, Hepatite e Sífilis. Será realizado, também, o atendimento para captação de casos novos de hanseníase entre moradores da cidade.

“O objetivo é intensificar a detecção precoce de casos da doença através de ações coordenadas facilitando o acesso ao diagnóstico, garantindo que o tratamento seja realizado de forma oportuna para evitar sequelas irreversíveis”. Disse a Coordenadora do programa de Hanseníase, Priscila Batista,

Entenda a doença

A hanseníase é uma doença crônica e transmissível provocada pela bactéria Mycobacterium leprae. Caracteriza-se pela alteração, diminuição ou perda total da sensibilidade térmica, dolorosa, tátil e muscular, principalmente em mãos, braços, pés, pernas e olhos, podendo gerar incapacidades permanentes.

A transmissão ocorre quando uma pessoa com hanseníase, na forma infectante da doença, sem tratamento, elimina o bacilo para o meio exterior, infectando outras pessoas suscetíveis, ou seja, com maior probabilidade de adoecer. A forma de eliminação do bacilo pelo doente se dá através do espirro ou tosse, sendo necessário um contato próximo e prolongado para infecção.

Casos no Município

Atualmente, a secretaria de Saúde do município contabiliza cerca de três pacientes em tratamento, sendo dois Multibacilar – com mais de 5 lesões –  e um Paucibacilar – uma lesão.

Vale destacar que a hanseníase multibacilar é considerada a transmissora pelo fato de possuir mais lesões, sendo seu tratamento realizado em cerca de um ano, enquanto a Paucibacilar dura seis meses.

Todos os pacientes – curado ou não – e seus familiares recebem acompanhamento contínuo da secretaria de Saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha Plus loading...

NOTÍCIAS RELACIONADAS